domingo, 29 de novembro de 2015

Gravidez e os fiscais de barriga

Descobri que gravidez é um pacote: o rumo da sua vida muda, você vira a morada de outro alguém e, de quebra, metade do mundo se sente no direito de dizer o que você pode ou não fazer. Entendo que com a era facebooklística as pessoas acabam se achando super críticas e donas da razão, porém não é bem assim que funciona comigo. Veja bem, a vida é minha e faço dela o que eu bem entender.

Uma das coisas que eu mais escuto é que grávida não pode pintar o cabelo, não pode comer isso, não pode usar aquilo, não pode pular ou correr, não pode ficar triste, não pode ser mãe solteira, não pode nada. Não sei onde estava escrito que a gestante pode ficar ouvindo esses desaforos de gente que não faz a menor ideia do que representa uma gravidez e tão pouco entende que uma gestação é completamente diferente de outra, mas tenho tentado diariamente ignorar os palpites inconvenientes e passei a me dar o direito de ser estupidamente grosseira em diversas situações - afinal, grávida pode sim assumir o nível elevado de hormônios.

Além disso, a sociedade presume que uma gestante tem barriga de nove meses do começo ao fim, o que é o maior equívoco de todos os tempos. Não tem nada de errado se a sua barriga for menor que a da sua amiguinha que gera/gerou um bebê, porque cada corpo é diferente e exatamente por isso funcionam de maneiras completamente distintas. Me sinto exausta e reviro os olhos todas as vezes em que escuto "mas como assim grávida? Você nem tem barriga!" ou quando tentam diminuir a minha auto estima dizendo "Sabia que ela tá grávida? Só que ela esqueceu a barriga em casa". Ontem mesmo fui no salão e fui obrigada a escutar - nessas horas nem tenho tanta certeza se é melhor que ser surda - que não parecia que eu estava grávida e que, na verdade, parecia que eu era apenas barriguda. 
                      
Nessas horas fico me questionando qual o propósito disso. Nesse momento, tenho nove quilos a mais, cãibras nas pernas, dores nas costas, enjoos matinais e trabalho em tempo integral. Não tenho tempo para ouvir resmungos de gente que morreria para ter o mesmo tipo físico que eu tenho estando grávida, as mesmas conquistas de vida ou qualquer outra coisa, porém é necessário voltar a atenção para esse tipo de acontecimento, aparentemente é algo muito comum e que pesa a gestação de muitas mulheres que acabam se sentindo inseguras com os seus corpos - fique claro que o mesmo muda completamente - por conta disso. 

Para finalizar, fica a dica para que cada um cuide de sua própria vida e de sua própria barriga. Por mais que seja importante expormos nossas opiniões, há uma distinção gigantesca entre querer mandar na vida de alguém e expor pensamentos; além de que, como já dizia Radiohead, "words are a sawed off shotgun".

5 comentários:

  1. Adorei o post, você sempre faz críticas bem significativas.
    Sua barriga tá linda, ansiosa para o nascimento já, te acompanho a tanto tempo *o*
    Beijos

    http://www.cherryacessorioseafins.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Desculpas...<3 n era essa a intenção... a intenção era só cuidar, te colocar no colo e ninar.

    ResponderExcluir
  3. Adorei seu post!
    Você está certíssima, as pessoas se metem demais onde não são chamadas :x
    sua barriga tá linda, bem redondinha <3
    Tenho o sonho de ser mãe, fico louca com essas coisas.

    Beijooos :*
    Day

    www.dayannemayarablog.wordpress.com

    ResponderExcluir
  4. Primeiro : COMO ASSIM FEZ OUTRO BLOG E SÓ DESCOBRI AGORA? TO DE GUERRA CMG HAHA.
    Segundo : Tu ta maravilhosa como sempre <3
    Terceiro : A gravida é tu, ninguém tem que te cagar regra e fiscalizar teu corpo.

    Super beijo e energias positivas <3

    Blog: Like The Moon
    FanPage do blog

    ResponderExcluir
  5. Sua barriga tá linda e as pessoas adoram falar da vida alheia.
    Eu realmente gostaria de saber como o pessoal arruma tanto tempo livre para se dedicar a isso.

    Não ligue para esse pessoal.Taca o foda-se neles e vida que segue rsrsr.

    Poesia em Transe

    ResponderExcluir